quinta-feira, 9 de outubro de 2008

O tempo que nos resta...


Os meus dez anos,era a descoberta do mundo.

O mundo era meu...não havia outro,senão aquele em que vivia.


Esquecia-me às vezes que os idosos também tinham sido crianças como eu.

As brincadeiras de garoto,que vivia intensamente com os amigos,impediam-me de reflectir...

O meu avô,trazia na cara as marcas do tempo,um mapa de rios mares e caminhos,por onde passou.
Um dia sentiu-se mal...


Chamou-me,como a pedir ajuda.

Estava sentado na areia à sombra, junto ao portão do pátio.


Estendeu-me a mão trémula,tentou articular algumas palavras...não conseguiu.


Os mares,rios e caminhos que tinha vencido na vida,desapareceram...

Fixei os meus olhos nos seus e vi um olhar de criança como eu...a pedir ajuda.

Olhou-me mais uma vez com os seus olhos azuis de menino...e adormeceu para sempre.

Aos vinte anos,continuei a gozar desses anos maravilhosos que a vida nos ofereceu.

Tive a oportunidade de desfrutar de momentos fantásticos...também algumas contrariedades,alguns dissabores.

Nos melhores momentos,porém recordava-me ás vezes do meu avô,e dos seus olhos de criança...no momento em que me disse adeus...e chamou por mim.

Lembrava-me por vezes,que o tempo passa por tudo e todos...
Tantos anos passaram...tantos virão,é um privilégio estar aqui neste lugar,que não é nosso mas a quem pertencemos por um tempo.
Estamos limitados no tempo...quanto tempo ainda nos resta a cada um de nós?
Simplesmente,o de tentarmos ser felizes...e fazer alguém feliz.
Enquanto nos resta algum tempo...



(em Momentos Finais "O Tempo que nos resta")

7 comentários:

  1. Sucumbi,não resisti,de enviar mais um comentário.
    Tão simples o que contas.
    Tão profundo e lindo!

    ResponderEliminar
  2. Em pequeno cheguei a sentar-me várias vezes,junto ao cata-vento e olhar o mar e a Figueira e muito mais.
    Bom reviver.
    J.P.

    ResponderEliminar
  3. tanto saudosismo para quê?
    apanhem juízo.
    O que passou passou,deixem os jovens sonhar com o futuro.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Boas.. Decidir ver qual o melhor blogue figueirense em 2008.
    Aconselho a fazer um post a dar conhcimento aos seus leitors que existe estes premios e para votarem. Aqui fica o endereço do blog para votar.
    A votaçao começa a 20 de outubro em http://bloguesfigueirenses.blogspot.com/
    Boa sorte

    ResponderEliminar
  6. Boas... Marcio,obrigado pela informação.
    Queria só acrescentar,que já tive a oportunidade de visitar o vosso blog...pareceu-me muito interessante...um abraço aí para os carvalhais.

    ResponderEliminar
  7. O cata-vento já não existe,nas dunas da praia da cova infelizmente.
    Já lá vão 18 anos que foi levado pelo mar.
    Acho que para aqueles mais novos que que não conheceram,uma explicação,seria aconselhável

    ResponderEliminar

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...