sábado, 18 de outubro de 2008

Velhos Valores Tradicionais...


Vivemos num mundo de incertezas,em que alguns valores fundamentais,são pouco respeitados.
A confiança,sinceridade,solidariedade entre as pessoas,atingiu os níveis mais baixos de sempre.
Era uma realidade que no tempo,dos nossos pais e avós a entreajuda,humildade e contacto-social estava presente em cada esquina de uma casa.
Especialmente na minha terra Cova Gala,e por esse Portugal fora.
Estes valores tradicionais,se asssim quisermos chamar,são indispensáveis para o bem estar de todos.
Só assim poderemos evoluir de alguma forma positiva,na sociedade em que vivemos.
É verdade que os tempos são outros.
Grandes coisas foram realizadas em proveito das populações.
Outras infuências,tornaram as pessoas diferentes...para pior.
O sistema político liberal de alto consumo,em que as pessoas são quase forçadas,aliciadas a consumir,está a atravessar um momento de quase pré-falência.
Os maus exemplos,dos nossos governantes actuais e anteriores,em nada melhoraram este estado de coisas.
Atrair a si os cidadãos com promessas enganosas em tempos eleitorais...para alcançar o poder sem qualquer tipo de escrúpulos,é moeda corrente.
A actual crise mundial financeira,também se deve muito,à falta de confiança que existe entre os banqueiros e instituições bancárias.
Derivado a riscos não calculados destas mesmas em investimentos,para obter o máximo de lucros no mínimo espaço de tempo.
Algumas encontram-se em condições precárias,não conseguindo obter empréstimos das suas congéneres e quando o conseguem,só com juros altíssimos.
A falta de liquidez,vai resultar em menos investimentos e por consequência menos trabalho para todos,sobretudo para aqueles que mais necessitam...o cidadão comum.
As famílias portuguesas ressentem-se de tudo isso.
O individualismo e egoísmo do sistema reflecte-se a todos os níveis na nossa sociedade.
Os velhos valores tradicionais dos nossos antepassados,quase não existem...
A elevação de sentimentos,nobreza,seriedade,respeitabilidade e honraria...fazem quase parte do passado também...




(em "Palavras Vivas")

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...