sábado, 23 de janeiro de 2010

Recôndito...

Para trás ficaram as dunas e o mar...

Pelo caminho,das minhas caminhadas,o pinhal silencioso...quebrado somente pelo vento e alguns pássaros.
Um perfume a resina e camarinhas...
Neste maravilhoso recanto da minha terra,já consigo avistar o rio.
O bote enterrado na lama, entregue ao seu destino inevitável.
Mais ao longe,montes verdejantes de outras terras...onde nunca estive,mas que chamam por mim.
Aqui as águas do mondego transpiram o sal,que me viu nascer.
As salinas,ainda lá estão, com os seus atalhos,tantas vezes pisados descalço,por gentes deste lugar.
Gentes desta terra,transportando sal de muitas vidas, sob o sol ardente de outros verões...
Meu recôndito oculto,jamais esquecido.

(em"Recôndito...")

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...