quarta-feira, 18 de março de 2015

Ó Virgens

Ó virgens que passaes, ao sol-poente, 

Pelas estradas ermas, a cantar! 
Eu quero ouvir uma canção ardente 
Que me transporte ao meu perdido lar... 

Cantae-me, n'essa voz omnipotente, 
O sol que tomba, aureolando o mar, 
A fartura da seara reluzente, 
O vinho, a graça, a formozura, o luar! 

Cantae! cantae as limpidas cantigas! 
Das ruinas do meu lar desatterrae 
Todas aquellas illuzões antigas 

Que eu vi morrer n'um sonho, como um ai... 
Ó suaves e frescas raparigas; 
Adormecei-me n'essa voz... Cantae! 
António Nobre, in 'Só'     16/08/1867 - 18/03/1900

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...