domingo, 13 de abril de 2008

A Cova, assim seria noutros tempos...

A imaginação não tem limites...
Vi uma onda,que depois de bater nas dunas,recuou e refugiou-se novamente no mar.
Aproveitei e com ela,viajei no passado...
Vi um bote e uma bateira no extenso areal da praia da cova.
Um palheiro,e um pescador que regressava a casa.
O sol ardente da tardinha de tempos distantes...
Vidas,do percurso do tempo,que por todos passa...e tudo alcança.
Nós somos a vida,o espaço e o tempo por momentos...no tempo,que não nos pertence.
( em "Memórias de areia" )

13 comentários:

  1. Oi pessoal,simplesmente maravilhoso,continuem assim.

    ResponderEliminar
  2. Covense de New Bedford15 de abril de 2008 às 17:29

    Ai camarada,tenho 64 anos o meu avo dizia-me que quando era pequeno vivia com os pais e os dois irmaos numa pequena casa de madeira nos cabeços da praia da cova,e não era a única,havia muitas mais casas ou sejam palheiros,isto segundo os meus calculos seria a volta de 1896 assim era realmente.
    Brebemente regressarei a minha santa terra.

    ResponderEliminar
  3. A mim,só me interessa o meu presente.
    Que se lixe o passado.

    ResponderEliminar
  4. É RIDÍCULO AFIRMAR,QUE O PASSADO NÃO INTERESSA.
    O NOSSO PASSADO FARÁ SEMPRE PARTE DO NOSSO PRESENTE!!!

    ResponderEliminar
  5. Velha Guarda Anos 60/70...17 de abril de 2008 às 19:00

    Interessante e sempre agradável de imaginar como seria antes.

    ResponderEliminar
  6. Pois é o quê?
    Boa essa de falar de cenas antigas,que já foram á vida,assim o campo do cova-gala,que não tarda muito.

    ResponderEliminar
  7. Muito bom mesmo,os meus parabéns,para quem quer que seja o autor.

    ResponderEliminar
  8. Adorei o poema,olhado para a primeira foto(?)

    ResponderEliminar
  9. Altamente,só hoje é que descobri.
    JP

    ResponderEliminar
  10. Uma pequena delícia,nem precisava das fotas,para imaginar,as palavras dizem tudo.
    No verão costumo frequentar a praia da cova.
    Marta Santos- Coimbra.

    ResponderEliminar
  11. o passado e parte do nosso presente da nossa maneira de ser e de ver a nossa terra .continua a dar-nos o prazer de ver essas fotos antigas da nossa terra para podermos saber de onde viemos e termos orgulho de sermos da COVAGALA

    ResponderEliminar
  12. Conheci alguém em matosinhos,que me chegou a falar da Cova pois o pai dele já falecido era natural daí teria agora 112 ou 113 anos se ainda fosse vivo.
    O filho o josé Santos, agora com 87 anos,contou-me já lá vão alguns uns anos, que o pai lhe falava muito na sua terra natal a Cova e dos palheiros nas dunas entre outras coisas.
    Saudações do Porto.

    ResponderEliminar

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...