terça-feira, 22 de setembro de 2015

Os últimos marinheiros - Um livro de reportagem de Filipa Melo


Este novo livro de Filipa Melo é uma tentativa de exortar a atenção para o universo de alguns portugueses cuja principal fonte de sustento ainda é a navegação no mar.  
Para a maioria, a ligação à marinha marcante (marinha de pesca ou marinha de comércio) é uma herança familiar, vinda das duas gerações anteriores ou de tempos imemoriais. Na dura solidão dos bacalhoeiros ou no relativo conforto de modelos mais ou menos recentes de navios de pesca ou de carga, o respeito pelo mar perpetua as suas regras. Apesar de toda a maquinaria, a profissão de marinheiro mantém algo de intrépido e aventureiro.
Escolhido o tema - os últimos marinheiros portugueses -, retomou aquele primeiro contacto com a marinha mercante, actualizou os dados dos intervenientes, reencontrou-se com alguns deles, e embarcou a bordo do navio de pesca de arrasto Neptuno, ao largo da Figueira da Foz, em Março de 2015
Embarcada com os marinheiros, dia após dia, partilhando com eles a rotina quotidiana, apercebeu-se que têm um grande orgulho pelo mar, mas também muito respeito. É a sua casa, uma casa flutuante. Têm outro tipo de contemplação sobre as coisas, uma percepção diferente. 
O mar é muito mais do que dinheiro e economia, observou, apelando para a urgência de se passar a ver o mar com outra pespectiva, sob o risco de acabarmos por assistir à extinção dos marítimos portugueses. 
A jornalista insta para a necessidade de serem revistas as políticas estatais. Esta é uma realidade que, segundo crê a autora, ainda é reversível.

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...